Ejaculação precoce prejudica a autoestima e a qualidade da relação

O problema pode surgir em homens de todas as faixas de idade

Por Especialista - publicado em 04/06/2010


Diversos "fantasmas" assombram os homens no que diz respeito à vida sexual. Um dos mais freqüentes é a ejaculação precoce, geralmente associada à ansiedade, stress e outros fatores psicológicos e orgânicos, que acometem jovens e adultos.

É importante destacar que a ejaculação precoce atinge homens de todas as idades e influencia não apenas no ato sexual, mas na segurança e auto-estima masculina. Há homens maduros que convivem com o problema desde muito jovens, mas a ejaculação precoce pode se manifestar também já em idade adulta.

Fatores psicológicos aparecem com freqüência maior, mas outros fatores também podem existir. O órgão masculino tem uma temperatura de 0,5 a 0,7 grau mais baixo que o resto do corpo. Em pessoas que apresentam uma sensibilidade muito alta na glande, essa diferença de temperatura pode gerar um estímulo mais intenso, que favorece a ejaculação precoce.

Pacientes com ejaculação precoce podem ficar preocupados em melhorar sua performance sexual e acabar apresentando outros problemas que podem prejudicar a qualidade de suas ereções

Uma das maiores dúvidas de pacientes que chegam ao Centro Médico Masculino de Campinas, onde atuo, é saber exatamente o que é a ejaculação precoce. Considera-se que um homem tem ejaculação precoce quando ela ocorre com menos de 05 minutos após a penetração, na maioria de suas relações sexuais.

Mas o tempo de ejaculação é muito variável e leva em conta outros fatores, ligados à companheira e ao ambiente - envolvimento, atração, local, grau de excitação, que estão relacionados a cada episódio. Portanto, não significa que o homem tem problemas de ejaculação precoce se isso acontecer em uma relação isolada, mas apenas quando o quadro se repete insistentemente, sem que o homem tenha controle desse evento.

 Para solucionar o problema, é comum, por parte de alguns profissionais, a indicação de medicamentos estimulantes que ajudam a manter a ereção por mais tempo.

O uso de estimulantes, porém, entre os quais o mais conhecido é o Viagra, não é um tratamento para a ejaculação precoce, pois nesse caso o que ele faz é prolongar a ereção. Como todo medicamento, ele tem seus efeitos colaterais especialmente se usado indiscriminadamente e em excesso. O uso prolongado desde a juventude pode trazer conseqüências mais sérias. 

Tratando o problema

Para um tratamento eficaz, o ideal é primeiro determinar as causas do problema, o que só pode ser feito mediante avaliação médica. Após a análise no consultório, quando percebemos que o paciente apresenta ejaculação precoce em decorrência de aspectos psicológicos, é comum a indicação de acompanhamento terapêutico, podendo haver ou não associação medicamentosa, de acordo com cada caso.

Quando as causas são físicas, é possível tratar o problema usando desde medicamentos até técnicas de dessensibilização da glande. 

Conversar com o médico é essencial

É comum pacientes com ejaculação precoce ficarem tão preocupados em melhorar sua performance sexual que acabam apresentando outros problemas que podem prejudicar a qualidade de suas ereções. Muitos homens, por causa de algum evento isolado, passam a acreditar que têm ejaculação precoce, quando, na verdade, apresentam ejaculação normal.

Para eliminar essas dúvidas, obter um diagnóstico correto, e, se necessário, receber o tratamento adequado, a indicação é sempre procurar um profissional especializado. E mais uma dica: é importante encarar a solução da ejaculação precoce como um tratamento que, portanto, exige um período de acompanhamento médico.  



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

 Érico de Rolvare

Escrito por:

Érico de Rolvare

Saúde Masculina

Ajudou 6483 pessoas


Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."