Crianças que dormem mal têm desempenho ruim na escola

A falta de sono e o hábito de roncar estão relacionados à necessidade de aulas de reforço

Por Minha Vida - publicado em 05/09/2012


Crianças que roncam ou têm problemas para dormir estão mais propensas a precisar de reforço escolar. A descoberta foi publicada no periódico Pediatrics e conduzida por um grupo de pesquisadores da Albert Einstein College of Medicine, da Yeshiva University, nos Estados Unidos.

Para chegar a essa conclusão, os especialistas acompanharam 11 mil crianças inglesas. Problemas respiratórios durante o sono, como roncar, recusar-se a ir para a cama, levantar de noite ou ter pesadelos por volta dos cinco anos de idade estava associado a uma chance maior de a criança precisar de reforço educacional aos oito anos.

No geral, problemas para dormir foram ligados a um risco quase 40% maior de necessidade de reforço escolar. Entretanto, crianças com casos mais graves de problemas respiratórios apresentaram necessidade 60% maior de reforço educacional. Uma explicação para o resultado seria a baixa oxigenação do cérebro durante o sono nesse período de desenvolvimento.

Na semana passada, a American Academy of Pediatrics emitiu novas recomendações voltadas a crianças e adolescentes que roncam regularmente, propondo monitoramento do problema para descobrir um possível diagnóstico de apneia do sono. O problema não só afeta a qualidade do sono, como ainda aumenta o risco de problemas cardiovasculares, atrasos de desenvolvimento, além de crescimento abaixo do normal.

Desempenho na escola

Além de uma boa noite de sono, outros fatores podem favorecer o aprendizado infantil. Confira alguns deles:

1. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostrou que crianças habituadas a fazer atividades físicas, pelo menos, três vezes por semana tendem a ser mais inteligentes na adolescência e na vida adulta.

2. Saiu no Archives of Pediatris & Adolescent Medicine que brincadeiras entre pai e filho podem ajudar no desenvolvimento da criança, o que influencia diretamente seu rendimento escolar.

3. Em vez de obrigar seu filho a fazer a lição de casa, ajude a criança a realizar as tarefas, sempre de forma amigável. O método traz melhor rendimento escolar, de acordo com um estudo publicado no periódico Learning and Individual Differences.

4. O índice de massa corpórea IMC (Descubra seu peso ideal) também pode fazer diferença quando o assunto é educação infantil. Um estudo da American Psychological Association mostrou que meninos e meninas fisicamente ativos e com peso dentro do intervalo considerado ideal têm melhor desempenho na escola.


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."