Acabe com 11 mitos que chateiam a gravidez

Desbanque mitos sobre sexo, banho de sol e alimentação adequada

Por Fernando Menezes - atualizado em 30/08/2013


Durante gestação, a mulher tem inúmeras mudanças de hábitos. Algumas realmente são necessárias para garantir a sua saúde e a do bebê, mas outras podem ser nada mais do que mitos. "A condição de uma mulher grávida é tão delicada e única que uma série de mitos sobre o que ela pode ou não fazer foi criada pelas pessoas. Tudo isso pode confundir a gestante, tornando esse período menos agradável do que deveria ser", diz a coordenadora do setor de Ultrassonografia Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher. Esclareça 11 dúvidas do que pode ou não ser feito durante a gravidez.

de 11

Sexo gravidez -  Foto Getty Images

Até que mês a gestante pode fazer sexo?

A relação sexual com o parceiro é permitida durante todos os meses, já que a saúde do bebê não é prejudicada durante a relação sexual. "O sexo é permito durante toda a gravidez, a não ser que existam intercorrências como sangramento e contrações", explica Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher.

Muitas mulheres ficam preocupadas com a possível perda de desejo sexual durante esse período, mas pesquisas mostram que esses casos são minoria. Segundo um estudo feito pelo Hospital de Santa Maria, em Portugal, 89% das mulheres não sentiram diferença no desejo sexual durante a gravidez. 

Grávida sol - Foto Getty Images

Gestantes podem tomar banho de sol?

A vitamina D, que é absorvida pelas células quando a pele entra em contato com os raios solares, é essencial para a saúde tanto da mulher quanto do bebê. Por isso, a grávida precisa, sim, tomar sol regularmente.

No entanto, como a pele da gestante tem risco maior de ficar com manchas devido a mudanças hormonais, é preciso evitar o sol das 10 até às 16 horas e sempre usar protetor solar com fator de proteção maior do que 30. 

Grávida carro - Foto Getty Images

Grávidas podem dirigir sozinhas?

A rotina de uma gestante deve mudar o mínimo possível. No entanto, após a trigésima segunda semana, é melhor não correr riscos. A partir daí, o bebê começa a se mexer mais, podendo distrair a mulher. Além disso, os reflexos ficam mais lentos. "Essa restrição varia de acordo com o cotidiano e a saúde emocional e física da mulher. Nessa etapa da gravidez, é preciso tomar mais cuidados", Viviane Lopes.

Diminuir o estresse, que normalmente acompanha o trânsito das grandes cidades, é importante, principalmente, nos meses finais da gestação. Por isso, andar mais no banco do passageiro ou preferir táxi são boas opções nessa etapa final. 

Grávida fazendo exercício - Foto Getty Images

Parar de fazer atividades físicas

As gestantes devem, sim, continuar a fazer exercícios durante a gravidez, já que o sedentarismo nesse período pode apresentar riscos para a mulher e a criança. O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (AAOC) recomenda atividades moderadas todos os dias da semana, independente da fase da gestação.

"Ao montarmos um programa de exercícios, temos que observar alguns fatores como, por exemplo, se a gestante já fazia algum tipo de atividade física anteriormente. Por isso, o acompanhamento de um profissional capacitado é muito importante", explica o especialista do Minha Vida Alexandre Alvez, diretor do Centro Atividade Física para Gestantes. 

Grávida depilação - Foto Getty Images

Elas podem fazer depilação com cera?

A depilação com cera quente ou feita com lâmina pode ser feita sem restrições. No entanto, a chamada depilação definitiva, ou depilação a laser, não é recomendada em nenhuma parte do corpo, já que nunca foram feitos testes para saber qual é o efeito do laser no bebê. 

Tintura para cabelo - Foto Getty Images

Elas podem pintar o cabelo?

Durante as primeiras 16 semanas de gravidez, é aconselhável não usar tinturas para cabelo. Esse cuidado deve ser tomado porque o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada, o que facilita a entrada da química da tintura na corrente sanguínea. "Substâncias como amônia, benzeno e iodo podem ter efeito tóxico para o bebê, aumentando as chances de má-formação e danos fetais", explica a especialista Viviane Lopes. 

Pintar unhas - Foto Getty Images

As gestantes podem pintar as unhas?

Ao contrário do que acontece com a tintura de cabelo, a química do esmalte e da acetona não causa nenhum problema ao bebê. "A química utilizada nesses produtos é fraca e não há restrições para pintar as unhas durante toda a gestação", explica Viviane Lopes. 

Álcool - Foto Getty Images

Até que ponto o consumo de bebidas alcoólicas é seguro?

De acordo com a especialista, beber qualquer quantidade de álcool é desaconselhável durante a gestação. "É muito importante que a mulher corte o consumo de bebida alcoólica de sua rotina, já que pesquisas mostram que até o consumo apenas social de álcool pode levar à Síndrome Alcoólica Fetal", alerta Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher. A Síndrome Alcoólica Fetal é caracterizada pela má-formação do feto causada pela ingestão de álcool pela mãe. 

produto de limpeza - Foto Getty Images

É preciso evitar algum produto de limpeza?

É bom tomar cuidado com alguns produtos de limpeza, principalmente aqueles que contenham amônia ou os seus derivados, já que essas substâncias podem trazer malefícios ao bebê. "Mesmo que sejam encontrados em quantidades pequenas, esses produtos podem causar náusea na mãe e má formação no feto", diz a especialista Viviane Lopes.  

Grávida comendo - Foto Getty Images

Gestante precisa comer por dois?

A alimentação na gravidez está cercada de mitos. Falar que a grávida precisa comer por dois é um deles. Assim como quando a mulher não está grávida, o importante é ter um prato variado e colorido, que contenha vegetais, frutas, legumes, carboidratos, proteínas e gorduras, além de muita água.

Para garantir disposição o dia todo e ajudar a combater problemas como náuseas, cansaço e azia, as refeições devem ser divididas entre três principais: café da manhã, almoço e jantar. As gestantes também devem se alimentar de três em três horas. Para isso, o melhor é realizar lanches saudáveis (frutas, iogurtes, cereais) entre as refeições. 

Comida japonesa - Foto Getty Images

Pode comer comida japonesa?

 Na verdade, o que não deve ser ingerido é qualquer tipo de carne crua, já que, nesse estado, ela possui maior chance de conter bactérias e outros organismos que podem fazer mal para a mãe e o bebê

ver texto completo


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."