Está na faixa da obesidade? Você merece uma dieta especial

Acompanhamento nutricional e psicológico ajuda a recuperar a forma

Por Minha Vida - publicado em 31/07/2009


A obesidade no Brasil cresceu de 11,4% - em 2006 - para 15% este ano. Os dados, divulgados nesta segunda-feira (18), fazem parte da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), que em 2010 entrevistou 54.339 adultos, nas 27 capitais.

Pessoas obesas, que estão com o IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30, precisam de uma dieta bem mais focada porque, somado ao peso em excesso, provavelmente já começam a despontar problemas como diabetes, colesterol alto, hipertensão arterial, entre outras complicações . "O que precisamos é fazer com que esse indivíduo saia o mais rápido possível desse quadro. Por isso, que ele merece atenção especial", alerta a nutricionista Flávia Bulgarelli Vicentini, da Casa e Movimento.

De acordo com a especialista, a reeducação alimentar precisa estar em primeiro plano, já que o excesso de peso é, em grande parte, decorrência de erros tremendos cometidos na hora das refeições. "Normalmente, uma pessoa que está na condição de obeso, com risco de complicações, está sedentária e perdeu todo o controle que tem sobre o ato de se alimentar", diz. A nutricionista ensina seis mandamentos imprescindíveis para perder peso e levar uma vida mais saudável.

Motivação na dieta

1. Não deixe o desânimo sabotar a dieta
Imagine perder de 3 a 4 quilos em uma semana. Parece milagre, não? Mas não se iluda com esses números e com a velocidade em que os quilos vão embora. Segundo a nutricionista, isso é muito comum quando pessoas obesas decidem enfrentar o regime, mas é preciso entender que, com o passar do tempo, a perda de peso será bem mais lenta. "No início do tratamento, a pessoa irá perder muito mais do que um indivíduo que está com sobrepeso, porque o gasto energético aumenta conforme o peso e o seu volume corporal. Depois dessa etapa inicial, o que se espera é uma perda gradativa em torno de 500 gramas por semana", diz a nutricionista. Mas não deixe isso ser motivo para o desânimo invadir seu programa de reeducação alimentar.

Para ganhar motivação, que tal pensar em todos os benefícios que você poderá aproveitar quando estiver mais magro e saudável? "Um bom exercício mental é pensar em coisas que gostaria de fazer se estivesse com menor quantidade de gordura corporal, por exemplo, comprar uma roupa nova e se sentir mais atraente; ter mais disposição para o dia a dia; ter mais credibilidade profissional; melhorar o físico ou ir à praia sem se sentir constrangido", afirma a especialista. 

Exercício físico

2. Não abandone o prazer das refeições
Um dos grandes dramas para as pessoas que estão acima dos 100 quilos é que como, em geral, elas sentem um enorme prazer em comer, acreditam que a dieta vai minar essa sensação. "O prazer no momento da refeição não precisa acabar, por isso é importante ter um momento reservado no dia a dia dedicado à alimentação. O que elas precisam fazer é conhecer a imensidade de pratos deliciosos que se encaixam ao regime", lembra Flávia.

3. Mexa-se e empurre o metabolismo
Não adianta botar a culpa no metabolismo toda vez que o ponteiro da balança dá um salto, ainda mais quando a alimentação é altamente calórica e você se exercita quase nada. "O metabolismo de uma pessoa que está muito acima do peso é parecido com o de uma pessoa que está dentro do peso normal. Existem algumas predisposições, como no caso de pessoas que tenham os pais obesos e apresentam mais dificuldade de se manter dentro do peso ideal, mas não é por isso que eliminar os quilos extras seja um problema", alerta Flávia Bulgarelli Vicentini. O ponto de partida, nesse caso, é movimentar o corpo para turbinar a queima de gordura. O fato de estar pesado demais pode ser uma limitação para uma série de exercícios, mas nem por isso elimina outras possibilidades. "A ajuda de um educador físico é fundamental para determinar quais atividades são possíveis para não ocorrerem problemas nas articulações", afirma.

Descubra seu
peso ideal

Saiba se você está acima
ou abaixo do peso.

Ex: 75,5kg, 1,70m

4. Enxergue o lado positivo da dieta
Antes de começar a dieta, já está pensando que fácil mesmo seria apostar em métodos mais drásticos e rápidos de emagrecer, como uma cirurgia? De acordo com Flávia, as cirurgias são aconselhadas somente para quem corre risco de vida. "Pessoas que têm a indicação de cirurgia são aquelas que chegaram ao extremo da obesidade (IMC maior do que 39,9) e se não perderem peso rapidamente podem chegar a óbito", alerta a especialista. Vale lembrar que os efeitos pós-cirurgia exigem um esforço tremendo de adaptação física e psicológica. "Se o paciente não modifica os hábitos alimentares, ele pode voltar a engordar", diz.

5. Aprenda a controlar o apetite
Acha que a vontade de comer é muito mais forte que você? A seguir, confira as dicas da nutricionista para domar esse sentimento.

- Coma com tranquilidade. Sente-se para comer e mastigue devagar. A refeição deve demorar, no mínimo, 20 minutos. Este é o tempo que leva para o seu organismo se sentir satisfeito.

- No momento das refeições (inclusive café da manhã e lanches), deixe os alimentos fora do seu alcance de visão. Sente-se à mesa com o prato feito. Isso evita os beliscos desnecessários.

- Hidrate-se. O organismo demora para enviar a sensação de sede e, muitas vezes, ela é confundida com fome.

- Coma de 3 a 5 frutas por dia. O áçucar da fruta ajuda a inibir a vontade de comer doces, além dessa turma ser ricas em fibras, vitaminas e minerais.

- Consuma verduras e legumes no almoço e no jantar. Varie a cor e o modo de preparo desses alimentos. As fibras auxiliam no processo de saciedade, e as vitaminas e os minerais que eles contêm colaboram com a perda de peso, porque ajudam a diminuir a ansiedade e turbinam o gasto calórico.

- Fique longe das tentações. Se a caixa de bombom fica no armário, fica bem mais complicado resistir a ela. Evite ter em casa alimentos gordurosos e ricos em açúcar, que são os perigos da dieta.  

6. Procure trabalhar a mente
Aliar a dieta a um tratamento psicológico ajuda um bocado quando o assunto é perder muito peso. Esse tipo de acompanhamento é recomendado para quem está desmotivado, com a autoestima baixa e a autoconfiança abalada. E, com a mente em equilíbrio, o propósito de mandar os quilos embora fica mais firme e incorporado à rotina. "Além de modificar os hábitos alimentares, as pessoas vão aprender a controlar os fatores emocionais que a levaram a ganhar peso", diz a nutricionista.


Faça sua avaliação de peso. É rápida e gratuita Seu peso dos sonhos é o ideal para você?

Responda a avaliação e descubra se seu peso
atual e sua meta de emagrecimento são saudáveis.

Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."